Lixo

Ilha de Lixo no Pacífico Ameaça Ecossistema Marinho

Garrafas, sacolas e seringas são somente alguns dos objetos plásticos – material não biodegradável – que flutuam no Pacífico Norte, entre os Estados Unidos e o Japão, confirmando o apelido que alguns batizaram como “ilha ou sopa de lixo”.

Com o objetivo de estudar a composição dessa imensa massa de resíduos, e seu efeito sobre a vida marinha e a cadeia alimentar, há alguns dias partiram os barcos New Horizon e Kaisei desde a costa da Califória, e devem já estar se aproximando de seu objetivo. As informações são do saite www.projectkaisei.org. Neste pode ser acompanhado o desenvolvimento da missão.

Estima-se que a surpreendente mancha de resíduos tenha uma superfície de quase 1,4 milhão de quilômetros quadrados (o que equivale à metade da superfície continental da Argentina), e que contém mais de seis toneladas de plástico. Além de objetos identificáveis, está composta por milhões de partículas microscópicas, algumas do tamanho de um grão de areia.

Quem leva adiante a investigação é o Projeto Kaisei, grupo composto por cientistas, ecologistas, amantes dos oceanos e entusiastas dos esportes, que se reúne para estudar os restos e determinar a maneira de recuperá-los, tratá-los e avaliar se poderiam ser utilizados para se transformar em combustível.

“Nesta expedição, até agora, não estamos tentando. A ideia é primeiro analisar o lixo e então poderíamos discutir a melhor maneira de lidar com ele”, disse o líder do projeto, Doug Woodring. Ele acrescentou que o problema principal é que a “ilha” está em águas internacionais. “Ninguém passa por ali, não é parte das principais rotas comerciais, não está sob nenhuma jurisdição e o público não sabe de sua existência”, explicou o cientista. A grande massa de resíduos foi descoberta faz mais de uma década por um oceanógrafo, Charles Moore, que ao estudar a rota topou com a inusual e desagradável paisagem.

Os organizadores, que tem o regresso da missão previsto para o início do mês próximo, informaram que as ações poderão ser seguidas pelo público por meio da internet.

Rumo à mancha de resíduos, o barco New Horizon vai colhendo amostras de águas oceânicas, às vezes de grandes profundidades. Essas amostras de “mar limpo” servirão para ser comparadas com as que logo serão colhidas dentre os resíduos.

Notícias do Espaço Vital, 10.08.2009.

Anúncios
%d bloggers like this: